pt-pten +351 21 845 26 89 / 90 geral@papa-leguas.com
+351 21 845 26 89 / 90 geral@papa-leguas.com

Madagáscar, a Ilha Continente

(1 Avaliação)
Desde 2.560
Voos não incluídos
Quarto Individual
850
Disponibilidade
Início
Fim
Estado
Segunda22 Abr, 2024
Domingo05 Mai, 2024
disponivel2.560,0
Segunda13 Mai, 2024
Domingo26 Mai, 2024
disponivel2.560,0
Segunda03 Jun, 2024
Domingo16 Jun, 2024
disponivel2.560,0
Segunda15 Jul, 2024
Domingo28 Jul, 2024
disponivel2.560,0
Segunda05 Ago, 2024
Domingo18 Ago, 2024
disponivel2.560,0
Terça10 Set, 2024
Segunda23 Set, 2024
disponivel2.560,0
Inscreva-se
Pergunte-nos
Pagar um sinal de 30% por viagem
Condições Particulares Condições Gerais

Madagáscar, a Ilha Continente


Condições Gerais

O presente programa / catálogo online é o documento informativo no qual se inserem as presentes condições gerais, dele fazendo parte integrante e que constituem, na ausência de documento autónomo o contrato de viagem.
 
A presente informação é vinculativa para a agência salvo alguma das presentes condições:
  1. Se as alterações nas seguintes condições tenham sido comunicadas claramente por escrito ao cliente antes da celebração do contrato e as mesmas estejam devidamente previstas no programa;
  2. Quaisquer alterações posteriores à celebração do contrato dependem de acordo prévio das partes, salvo o previsto na cláusula “impossibilidade de cumprimento”.
As presentes condições gerais obedecem ao disposto no Decreto-lei 61/2011 de 06 de Maio, com a alteração que foi introduzida pelo Decreto-lei 199/2012 de 24 de Agosto.
 
As Condições Gerais cujo objeto seja uma viagem organizada constante do presente programa e as condições particulares que constam da documentação de viagem facultada ao cliente no momento de reserva da viagem consubstanciam o contrato de viagem que vincula as partes.

1. ORGANIZAÇÃO

A organização técnica e venda das viagens incluídas no presente site é da responsabilidade da Papa-Léguas, agência de viagens e turismo Lda, com sede na Rua Manuel Assunção Mestre, nº22,  7780-199 Castro Verde, matriculada na conservatoria do Registo Comercial de Lisboa e com Contribuinte Fiscal nº 504163590, com o capital social realizado de 99.759,60€ (noventa e nove mil, setecentos e cinquenta e nove euros e sessenta cêntimos), e com o registo  RNAVT nº 2275 e RNAAT nº 67/2014.

2. INSCRIÇÕES

No acto da inscrição o cliente deverá depositar 30 % do preço do serviço, liquidando os restantes 70% até 21 dias antes do início do serviço. Se a inscrição tiver lugar a 21 dias ou menos da data do início do serviço, o preço total do mesmo deverá ser paga no acto da inscrição. A Papa-Léguas, agência de viagens e turismo Lda reserva-se o direito de anular qualquer inscrição cujo pagamento não tenha sido efectuado nas condições acima mencionadas. As reservas encontram-se condicionadas à obtenção da parte dos fornecedores da confirmação de todos os serviços.

Os preços das viagens são apresentados por pessoa e tendo por base a ocupação em quarto partilhado por duas pessoas. A agência organizadora agrupará aos pares, por sexo, e por ordem cronológica de inscrição os Clientes que se inscreverem individualmente para a mesma viagem. O Cliente que ficar isolado deverá pagar o suplemento individual respetivo, sempre que exigido pelo prestador de serviços.

INFORMAÇÃO AO ABRIGO DA LEI N.º 144/2015 DE 8 DE SETEMBRO:

Nos termos da Lei n.º 144/2015 de 8 de Setembro informamos que o Cliente poderá recorrer às seguintes Entidades de Resolução Alternativa de Litígios de Consumo:

i) Provedor do Cliente das Agências de Viagens e Turismo in www.provedorapavt.com;

ii) Comissão Arbitral do Turismo de Portugal in www.turismodeportugal.pt

iii) ou a qualquer uma das entidades devidamente indicadas na lista disponibilizada pela Direcção Geral
do Consumidor in http://www.consumidor.pt cuja consulta desde já aconselhamos.

3. RECLAMAÇÕES

As reclamações apenas poderão ser consideradas desde que apresentadas por escrito à agência no prazo máximo de 30 dias após o termo da prestação dos serviços.

Em caso de reclamação por incumprimento dos serviços contratados poderá o cliente accionar o Fundo de Garantia de viagens e Turismo previsto nos termos no DL 61/2011 de 06 de Maio na sua redacção actual, devendo para isso apresentar a respectiva reclamação:

i) Junto do Provedor do Cliente pois a Papa-Léguas, agência de viagens e turismo Lda. é aderente ao Provedor do Cliente das Agências de Viagens e Turismo in www.provedorapavt.com. Para usufruir deste serviço deverá no prazo de 20 dias úteis após o fim da viagem apresentar a sua reclamação por escrito. As agências estão vinculadas ao pontual cumprimento da decisão que venha a ser emitida por tal entidade.

ii) Junto do Turismo de Portugal I.P in www.turismodeportugal.pt no prazo de 30 dias após : (i) o termo da viagem; (ii) o cancelamento da viagem imputável à agência; (iii) a data de conhecimento da impossibilidade da sua realização por facto imputável à agência; (iv) o encerramento do estabelecimento.

iii) Junto de qualquer uma das entidades constantes do site da Direcção Geral do Consumidor in http://www.consumidor.pt

4. BAGAGEM

1) A agência é responsável pela bagagem nos termos legais;

2) O cliente tem obrigação de reclamar junto da entidade prestadora dos serviços no momento de subtracção, deterioração ou destruição de bagagem.

3) No transporte internacional, em caso de dano na bagagem, a reclamação deverá ser feita por escrito ao transportador imediatamente após a verificação do dano, e no máximo 7 dias a contar da sua entrega. Estando em caso o mero atraso na entrega da bagagem a reclamação deverá ser feita dentro de 21 dias a contar da data de entrega da mesma.

4) A apresentação de tal reclamação será fundamento essencial para o accionamento da responsabilidade da Papa-Léguas, agência de viagens e turismo Lda sobre a entidade prestadora do serviço.

5. LIMITES

A responsabilidade da agência terá como limite o montante máximo exigível às entidades prestadoras dos serviços, nos termos da Convenção de Montreal, de 28 de Maio de 1999, sobre Transporte Aéreo Internacional, e da Convenção de Berna, de 1961, sobre Transporte Ferroviário.

No que concerne aos transportes marítimos, a responsabilidade das agências de viagens, relativamente aos seus clientes, pela prestação de serviços de transporte, ou alojamento, quando for caso disso, por empresas de transportes marítimos, no caso de danos resultantes de dolo ou negligência destas, terá como limites os seguintes montantes:

a) € 441.436, em caso de morte ou danos corporais;

b) € 7.881, em caso de perda total ou parcial de bagagem ou da sua danificação;

c) € 31.424, em caso de perda de veículo automóvel, incluindo a bagagem nele contida;

d) € 10.375, em caso de perda de bagagem, acompanhada ou não, contida em veículo automóvel;

e) € 1.097, por danos na bagagem, em resultado da danificação do veículo automóvel.

Quando exista, a responsabilidade das agências de viagens e turismo pela deterioração, destruição e subtracção de bagagens ou outros artigos, em estabelecimentos de alojamento turístico, enquanto o cliente aí se encontrar alojado, tem como limites:

a) € 1.397, globalmente;

b) € 449 por artigo;

c) O valor declarado pelo cliente, quanto aos artigos depositados à guarda do estabelecimento de alojamento turístico.

A responsabilidade da agência por danos não corporais poderá ser contratualmente limitada ao valor correspondente a cinco vezes o preço do serviço vendido.

6. DESPESAS DE RESERVA

Por cada reserva serão cobradas as seguintes verbas:

Despesas de Reserva :

  • Portugal: 30€ (trinta euros);
  • Restantes Países: 50€ (cinquenta euros).

(valores não reembolsáveis)

Despesas de Alterações:

Por cada alteração (nomes, datas, tipo de apartamento ou quarto, viagem, etc) : 50€ (cinquenta euros). Salientamos que a aceitação de tais alterações depende de aceitação por parte dos respectivos fornecedores

7. DOCUMENTAÇÃO

O cliente deverá possuir em boa ordem a sua documentação pessoal ou familiar, (bilhete de identidade, documentação militar, autorização para menores, vistos, certificado de vacinas e outros eventualmente exigidos). A agência declina qualquer responsabilidade pela recusa de concessão de vistos ou a não permissão de entrada ao cliente em país estrangeiro; sendo ainda da conta do cliente todo e qualquer custo que tal situação acarretar.

Viagens na União Europeia:

  • Os clientes (independente da idade) que se desloquem dentro da União Europeia deverão ser possuidores do respectivo documento de identificação civil (passaporte; B.I, Cartão do Cidadão);
  • Para obtenção de assistência médica devem ser portadores do respectivo Cartão Europeu do Seguro de Doença ;
  • Os nacionais de países não comunitários devem consultar informação específica quanto à documentação necessária para realização de viagem junto das embaixadas/ consulados dos países de origem.

Viagens fora da União Europeia:

  • Os clientes (independente da idade) que se desloquem deverão ser possuidores do respectivo documento de identificação civil (passaporte) bem como do visto se necessário (obtenha tal informação junto da agência no momento da reserva) ;
  • Os nacionais de países não comunitários devem consultar informação específica quanto à documentação necessária para realização de viagem junto das embaixadas/ consulados dos países de origem.
8. MUDANÇAS

Caso os fornecedores da viagem em causa permitam, sempre que um cliente, inscrito para uma determinada viagem, desejar mudar a sua inscrição para uma outra viagem ou para a mesma com partida em data diferente, ou outra eventual alteração, deverá pagar a taxa, como despesas de alteração. Contudo, quando a mudança tiver lugar com 21 dias ou menos de antecedência em relação à data da partida da viagem, para a qual o cliente se encontra inscrito, ou se os fornecedores de serviços não aceitarem a alteração, fica sujeito às despesas e encargos previstos na rubrica “desistência (rescisão)”.

Após iniciada a viagem, se solicitada a alteração dos serviços contratados por motivos não imputáveis à agência (ex. ampliação das noites de estadia, alteração de voo) os preços dos serviços turísticos poderão não corresponder aos publicados no site que motivou a contratação.

9. CESSÃO DA INSCRIÇÃO (POSIÇÃO CONTRATUAL)

O cliente pode ceder a sua inscrição, fazendo-se substituir por outra pessoa que preencha todas as condições requeridas para a viagem, desde que informe a agência vendedora com pelo menos sete dias de antecedência e que tal cessão seja possível nos termos dos regulamentos de transporte aéreos aplicáveis. Em caso de cruzeiros e viagens aéreas o prazo previsto será de quinze dias de antecedência.

A cessão da inscrição responsabiliza solidariamente cedente e cessionário pelo pagamento do preço viagem e pelos encargos adicionais originados.

10. ALTERAÇÕES

Sempre que existam razões alheias que o justifiquem, a agência organizadora poderá alterar a ordem dos percursos, modificar as horas de partida ou substituir qualquer dos hotéis previstos por outros de categoria e localização similar, devendo informar o cliente da tal alteração, logo que dela tenha conhecimento.

11. ANULAÇÕES DO PROGRAMA PELA AGÊNCIA

Quando a viagem esteja dependente de um número mínimo de participantes a Agência reserva-se o direito de cancelar a viagem organizada caso o número de participantes alcançado seja inferior ao mínimo. Nestes casos, o cliente será informado por escrito do cancelamento no prazo de 15 (quinze) dias.

12. ALTERAÇÃO AO PREÇO

Os preços constantes do programa estão baseados nos custos dos serviços e taxas de câmbio vigentes à data de impressão deste programa, pelo que estão sujeitos a alterações que resultem de variações no custo dos transportes ou do combustível, de direitos, impostos, taxas e flutuações cambiais até 20 dias antes da data de viagem.

13. REEMBOLSOS

Depois de iniciada a viagem não é devido qualquer reembolso por serviços não utilizados pelo cliente por motivos de força maior ou por causa imputável ao cliente, salvo reembolso pelos respectivos fornecedores. A não prestação de serviços previstos no programa de viagem por causas imputáveis à agência organizadora e caso não seja possível a substituição por outros equivalentes, confere ao cliente o direito a ser reembolsado pela diferença entre o preço dos serviços previstos e o dos efectivamente prestados.

14. IMPOSSIBILIDADE DE CUMPRIMENTO

Se previamente ao inicio da viagem e por factos não imputáveis à agência organizadora esta vier a ficar impossibilitada de cumprir algum serviço essencial constante do programa de viagem, tem o cliente direito a desistir da viagem, sendo imediatamente reembolsado de todas as quantias pagas ou, em alternativa, aceitar uma alteração e eventual variação de preço.

Se os referidos factos não imputáveis à agência organizadora vierem a determinar a anulação da viagem, pode o cliente ainda optar por participar numa outra viagem organizada de preço equivalente. Se a viagem organizada proposta em substituição for de preço inferior, será o cliente reembolsado da respectiva diferença.

15. DESISTÊNCIA (RESCISÃO)

O Cliente ou algum dos seus acompanhantes é livre de desistir da viagem a todo o tempo.

i) Tal cancelamento implica que o mesmo seja responsável pelo pagamento de todos os encargos a que o início do cumprimento do contrato e a sua desistência dêem lugar e ainda por uma percentagem que pode ir até 15% do preço da viagem.

ii) Quando seja caso disso, o cliente será reembolsado pela diferença entre a quantia paga e os montantes acima referidos.

iii) O cancelamento de serviços de viagem / viagens organizadas cuja reserva tenha sido efectuada utilizando como forma de pagamento o vale emitido ao abrigo do Decreto-lei n.º 17/2020 de 23 de Abril está sujeito a uma taxa de rescisão de valor igual ao preço do serviço, de forma a evitar reservas simuladas ou fraudulentas feitas apenas com o intuito de antecipar o recebimento dos valores titulados pelo vale.

16. CANCELAMENTO

Se por facto não imputável ao cliente, a agencia tiver de cancelar a viagem organizada antes da data de partida, o cliente pode optar por:

i) Ser imediatamente reembolsado de todas as quantias pagas, ou

ii) Em alternativa, optar por participar numa outra viagem organizada, sendo reembolsado da eventual diferença de preço que possa existir;

17. RESPONSABILIDADE

A responsabilidade da agência organizadora das viagens constantes deste programa e emergentes das obrigações assumidas, encontra-se garantida por um seguro de responsabilidade civil na Companhia de seguros Fidelidade, com a apólice n.º 9257343, no montante de 75.000€ (Setenta e cinco mil euros) nos termos da legislação em vigor.

18. IVA

Os preços mencionados neste programa reflectem já o Imposto de Valor Acrescentado à taxa actual de 23%.

19. VALIDADE

Este programa é válido de 01/01/2024 a 31/12/2024.

20. NOTAS
  • As restantes condições especiais estarão incluídas na página de cada destino e viagem em concreto- condições particulares – e que fazem parte do contrato de viagem.
  • As presentes condições gerais poderão ser complementadas por quaisquer outras específicas desde que devidamente acordadas pelas partes.
  • Os preços dos programas estão baseados na cotização média do dólar pelo que qualquer derivação relevante desta moeda poderá implicar uma revisão dos preços da viagem nos termos constantes da cláusula “alteração de preço”.
  • Devido ás constantes alterações do preço dos combustíveis sobre os preços praticados poderá haver alteração do suplemento de combustível inserido no preço nos termos constantes da cláusula “alteração de preço”.
  • As categorias dos hotéis apresentados nesta brochura seguem as normas de qualidade do pais de acolhimento, podendo os mesmos ser alterados por outros similares quando por motivos alheios à agência não seja possível manter ou confirmar a reserva existente, obrigando-se a agência a informar o cliente logo que de tal tenha conhecimento.
21. INFORMAÇÕES GERAIS

Horas de chegada ou partida:

As horas de partida e de chegada estão indicadas na hora local do respectivo pais e de acordo com horários das respectivas companhias aérea à data de impressão deste programa, podendo por isso ser sujeitas a alteração.

Hotéis / Apartamentos:

Apartamentos - No caso do alojamento ser contratado em apartamento é da responsabilidade do cliente a informação do número de pessoas que irão ocupar o apartamento. No caso de se apresentarem mais pessoas que as reservadas, os apartamentos poderão recusar a entradas.
Hotéis- O preço apresentado é por pessoa e estão baseados numa ocupação dupla. Nem todos os hotéis dispõem de quarto triplo sendo por norma colocada uma cama extra que pode não ser de idêntica qualidade. Nos quartos equipados com duas camas ou casal, o triplo pode ser constituído apenas por aquelas camas.

A relação dos hotéis e apartamentos constantes dos programa é indicativa assim como a sua categoria que respeita a critérios e classificações locais cujos critérios por vezes são distintos dos utilizados em Portugal.

Refeições:

Salvo indicações em contrário, os preços apresentados para os suplementos de Meia Pensão e Pensão Completa não incluem bebidas.

Nas chegadas ao hotel após a 19h o primeiro serviço de refeição será o pequeno-almoço do dia seguinte, no ultimo dia e salvo possibilidade de late check-out, o ultimo serviço do hotel será o pequeno-almoço.

Horários de entrada e saída:

As horas e entrada e saída no primeiro e último dia, serão definidas em função do primeiro e ultimo serviço. Em regra, sem carácter vinculativo os quartos podem ser utilizados a partir das 14h do dia de chegada e deverão ser deixados livres até as 12h do dia de saída.

Nos apartamentos a entrada verifica-se geralmente pelas 17h do dia de chegada e deverão ser deixados livres até as 10h do dia de saída.

Condições especiais para crianças:

Dada a diversidade de condições aplicadas às crianças (destino e fornecedor) recomenda-se questionar sempre as condições especiais que porventura sejam aplicadas à viagem em causa.

Seguro:

A agência disponibiliza a venda de seguros que poderão ser adquiridos em função da viagem para garantia de situações de assistência e despesas de cancelamento.

O limite máximo de idade, para o seguro é de 75 anos.

Madagáscar, a Ilha Continente


Condições Particulares

Esta viagem é realizada com grupos internacionais, poderá ou não haver outros portugueses no grupo.

Documentação:

Visto tratado à entrada do país, custo desde 35 euros; passaporte com data de validade superior a 6 meses após data de regresso.

Valores extensão: O valor do programa da extensão é um valor por pessoa, para um mínimo de 2 pessoas.
Caso viaje sozinho(a) serão aplicados suplementos.

Viajantes com mais de 70 anos, sob consulta para avaliação da situação.

Extensão Alameda dos Baobás: 

Se pretender visitar  a famosa alameda dos Baobás, teremos de a organizar para si antes do início do programa principal, devido às limitações dos dias de voo.

Líder da viagem
Avatar Operador Local

O líder desta viagem é disponibilizado pelo operador com quem trabalhamos no destino.

Estamos a preparar o seu programa de viagem.
Aguarde por favor...

Tem uma questão?

Não hesite em nos ligar. Dispomos uma equipa especializada e teremos todo o gosto em falar consigo.

+351 21 845 26 89 / 90

geral@papa-leguas.com

Detalhes da viagem
  • Conforto
  • Dificuldade
  • Duração 14 dias
  • Inscrições 2 - 16 pessoas
  • Idade 12 - 74
  • Tipo de viagem Descoberta, Guia local, Natureza
  • Destinos Madagáscar
  • Alojamento Hotel

Embarcamos numa jornada fascinante, numa ilha quase continente, onde lémures se misturam com baobás e a cultura floresce, fruto de uma mistura sábia de milénios de isolamento e de uma abertura ao mundo proporcionada pelos Portugueses.

A quarta maior ilha do mundo, ali encontrada em meados de 1500 por Diogo Dias quando ia a caminho da India, nos mares do Índico. Alguns dos segredos mais bem preservados de Madagáscar estão escondidos na região sul.

Nesta viagem pelo Sul da ilha Malgache, viajamos devagar, não fosse Madagáscar a terra do «mora mora» – docemente, docemente – considerado o lema nacional.

Iremos descobrir parques nacionais que protegem uma grande biodiversidade, como florestas com cascatas, baobás e lémures, flores e borboletas, camaleões e pássaros coloridos e ainda piscinas naturais, cavernas e as caminhadas. A cultura, os mercados,  as cidades, o artesanato e a superstição da ilha, são de encantar.
Conheceremos a sua cultura e lendas e exploraremos cidades e mercados.

 

Porque esta viagem é imperdível?
  • Visita ao Parque Nacional de Andasibe em busca do emblemático lémure Indri-Indri;
  • Safari noturno a pé na Reserva de Voimma ou Vakona;
  • Visita ao Parque Nacional de Isalo para explorar a pé os seus magníficos desfiladeiros;
  • Gastronomia Malgache;
  • Parque Nacional de Zombitse;
  • Visita aos Baobás da Reserva de Reniala;
  • Explorar a selva de Ranomafana, declarada Património da Humanidade.

Incluido

  • Guia de língua espanhola;
  • Acompanhamento de guias locais nas visitas aos parques e reservas;
  • Transferes aeroporto-hotel-aeroporto (caso os voos sejam nas datas do programa);
  • 11 Noites de hotel em quarto duplo;
  • Refeições: 10 pequenos-almoços e 2 jantares;
  • Veículo privado com condutor;
  • Entradas nos parques e reservas;
  • Visitas e excursões mencionadas como incluídas no itinerário;
  • Mapa de Madagáscar;
  • Seguro e assistência em viagem.

Excluido

  • Voos internacionais e doméstico (voo Tulear - Antananarivo);
  • Taxas de aeroporto;
  • Bebidas durante qualquer refeição incluída;
  • Visto e tramitação;
  • Todas as despesas pessoais);
  • Qualquer tipo de gratificação;
  • Qualquer item não mencionado como incluído
Mapa
Itinerário

Dia 1 Voo cidade de origem - Antananarivo

Voo desde a cidade de origem à capital de Madagáscar, Antananarivo, com escalas intermédias. Noite a bordo.

Alojamento: XRefeições: X
Conforto: Dificuldade:

Dia 2 Chegada a Antananarivo

Chegada e tramitação do visto.
Encontro com o guia no aeroporto e transporte para o hotel, check-in (a partir das 14h00) e tempo livre para explorar a cidade.
Neste dia será feito um breve briefing sobre a viagem com entrega de algum material informativo e um pequeno presente de boas vindas.

Alojamento: HotelRefeições: X
Conforto: Dificuldade:

Dia 3 Antananarivo - Parque Nacional de Andasibe

Pequeno-almoço no hotel e à hora marcada, encontro com o guia e saída para o Parque Nacional de Andasibe, a cerca 140 km, aproximadamente 4h30m de duração.
Durante a rota para a região Este da Ilha, iremos percorrer uma paisagem que varia desde campos de arroz até à selva tropical, habitada pelas etnias Bezanozano e Betsimisaraka.
Poderemos ainda observar a célebre Ravinala, a árvore conhecida como a «árvore do viajante» e símbolo de Madagáscar.

Almoçaremos na povoação de Moramanga e visitaremos o seu animado mercado.
A cidade de Moramanga teve um papel relevante na História da nação Malgache, pois foi aqui que se iniciou a conhecida «Revolta Malgache» na noite de 29 de Março de 1947, uma revolução anticolonial com mais de 8 mil mortos e com confrontos que duraram cerca de um ano

Seguimos a rota até ao Parque Nacional de Anadasibe, chegada e check-in no hotel.
Após um breve descanso e em hora combinada, o guia fará um briefing sobre o itinerário da viagem.

Alojamento: HotelRefeições: Pequeno-almoço
Conforto: Dificuldade:

Dia 4 Parque Nacional de Andasibe e visita noturna

Pequeno-almoço madrugador e saída para o Parque Nacional de Analamazaotra que se situa no perímetro do Parque Nacional de Andasibe.

À chegada, faremos uma caminhada com cerca de 4 horas de duração para observarmos o lémure »Indri-Indri», o maior da ilha de Madagáscar. A expressão «Indri-Indri» significa na realidade «Olhe!», expressão que o guia nativo malgache disse a Pierre Sonnerat, o explorador francês que o acompanhava quando se descobriu esta espécie. Durante o trajeto também poderemos observar camaleões, rãs, entre outros animais, enquadrados por fetos arbóreos e uma espécie de palmeira chamada pandanus.

Depois do almoço iremos visitar a pequena povoação de Andasibe, para depois regressarmos ao alojamento.

À hora marcada, faremos uma visita a pé noturna a uma reserva privada, onde teremos a oportunidade de observar várias espécies endémicas da ilha como por exemplo, alguns lémures como o Microcebus, o Avahi e o Cheirogaleus, também tentaremos observar camaleões, rãs, entre outras espécies. Durante esta visita é imprescindível o uso de uma lanterna-frontal.

O Parque Nacional de Andasibe divide-se nos parques nacionais de Analamazaotra e de Mantadia. Analamazaotra foi em tempos uma reserva criada em 1970, passando em 2015 a obter o estatuto de parque nacional, tem um perímetro de 810 hectares enquanto Mantadia ocupa uma área de 15 480 hectares. A zona mais interessante de todo o parque de Andasibe é com efeito, Analamazaotra, onde se observa - com relativa facilidade - o maior primata de Madagáscar, o já referido «Indri-Indri». Também encontraremos outras espécies de lémures (Eulemur Rubriventer, Eulemur fulvus, Varecia Variegata, Propithecus diadema, Cheirogaleus, o famoso Aye-Aye), 109 espécies de aves, 51 espécies de répteis (entre eles a famosa Boa Manditra e o camaleão Calumma parsonii), devido ao habitat ser formado por bosque húmido, ainda encontraremos 84 espécies de anfíbios, 120 variedades de orquídeas silvestres, cuja floração é visível entre Outubro e Fevereiro.

A visita a este parque é considerada de grau fácil.

Alojamento: HotelRefeições: Pequeno-almoço
Conforto: Dificuldade:

Dia 5 Parque Nacional de Andasibe - Behenjy - Antsirabe

Hoje o pequeno-almoço está programado para muito cedo, assim, à hora marcada, partiremos para as «Terras Altas» malgaches passando por paisagens pintadas por terraços de arroz.
A rota de hoje, de cerca de 310 Km /7 horas, faz-se a partir da famosa estrada RN7.

O almoço é livre na cidade de Foie-Gras, Behenjy, onde poderemos degustar a gastronomia malgache.

Continuação da rota até Ambatolampy, para visitarmos uma curiosa oficina tradicional de fabrico de folhas de alumínio.

Da parte da tarde, chegada à cidade colonial de Antsirabe, fundada por missionários luteranos no final do século 19 e check-in no hotel. Tempo livre.

Alojamento: HotelRefeições: Pequeno-almoço
Conforto: Dificuldade:

Dia 6 Antsirabe - Vale de Manandona - Antsirabe

Pequeno-almoço e ida até aos extensos vales da região de Vakinankaratra, uma das regiões mais férteis de Madagáscar, sendo considerada a «horta» do país.

Desde a povoação de Manandona, faremos uma caminhada, de cerca de 1 hora de duração, através de arrozais para conhecermos um pouco da cultura e hábitos agrícolas da população Malgache. Iremos visitar uma casa tradicional para conhecer um pouco dos seus afazeres e hábitos diários. Com sorte, iremos desfrutar um pouco de música tradicional malgache.

Durante o nosso trajeto do dia de hoje que será de cerca de 42 km, iremos ainda observar o Monte Ibity, a terceira montanha mais alta da ilha com 2345 metros de altitude. Visitaremos ainda uma queda de água e uma piscina natural onde nos poderemos banhar, caso viaje no verão austral.

Regresso a Antsirabe para almoçar e tour em «Pousse-Pousse» (semelhante aos riquexós indianos) através do centro de Antsirabe, incluindo as visitas ao mercado Atsena Kely, à catedral, à estação ferroviária, aos edifícios de traça colonial francesa com as suas históricas fachadas exteriores.
Regresso ao hotel e tempo livre.

ANTSIRABE, significa na língua malgache «local onde há muito sal». É uma agradável cidade colonial, situada a 170 km a sul de Antananarivo. É uma cidade termal, graças às suas águas ricas em cloreto de sódio, fundada por missionários luteranos noruegueses nos finais do século 19. O nosso hotel encontra-se situado em pleno centro, perto do mercado de Atsena Kely, da catedral e do edifício emblemático do Hotel das Termas, onde se exilou em 1953 o Rei Mohammed V.

Alojamento: HotelRefeições: Pequeno-almoço
Conforto: Dificuldade:

Dia 7 Antsirabe - Ambositra - Parque Nacional de Ramofana

Pequeno-almoço e ida até à capital do artesanato malgache, a povoação de Ambositra, terra da etnia Betsileo.
Ambositra situada a 1350 metros de altitude, é conhecida pelo trabalho dos seus artesãos Zafimaniry, nestres na escultura em madeira.
Se o tempo permitir, poderemos visitar uma oficina destes escultores de madeira ou passear pelas suas ruas para observar as suas gentes e a ambiência desta povoação.

Se viajarmos entre Julho e Setembro, podemos conhecer a famosa tradição da «Famadihana» que significa «o regresso dos mortos». Para participarmos, teremos de ser convidados, pois é uma celebração familiar e não turística, ou seja, a inclusão desta celebração no itinerário desta viagem está sujeita a confirmação que se fará apenas no local. Se participarmos, faremos com brevidade e respeito ( sem fotografias) para não violar a intimidade da família em questão.
Após o almoço, seguimos para o Parque Nacional de Ranomafana. Chegada e check-in no hotel.
Hoje iremos percorrer cerca de 230 km num total de 7 horas de duração.

PARQUE NACIONAL DE RANOMAFANA
A História deste parque começa com a descoberta de uma fonte de água quente no seu perímetro e posterior criação de um balneário. Mais tarde em 1991, inaugurou-se o Parque Nacional cujo nome significa «água quente», com efeito, esta reserva da biosfera é considerada o enclave mais húmido de Madagáscar. Segundo uma lenda Malgache, aqui chove 365 dias por ano.
É uma das mais famosas e espetaculares reservas naturais do país, estando a maioria do seu perímetro encerrada ao público para estudo e preservação das espécies mas na área visitável pode-se ter uma ideia da dimensão e importância deste local em termos de biodiversidade, animal e vegetal. As suas florestas-relíquia, praticamente inalteradas desde tempos imemoriais, repercutem-se na impressionante biodiversidade que advém da sua génese geológica, que com cerca de 60 milhões de anos, e desde a separação continental tem permitido uma evolução das espécies única e isolada, este fato tem chamado a atenção de cientistas e naturalistas de todo o globo. O parque Nacional tem cerca de 41 601 hectares e uma altitude que varia entre os 600 e 1400 metros acima do nível médio das águas do mar, a grande biodiversidade inclui mais de 12 espécies de lémures (Propithecus Edwardsi, Hapalemur Aureus, Hapalemur Griseus Ranomafanensis, Eulemur Rubriventer, Cheirogaleus Major, Avahi Laniger, Prolemur simus (uma das espécies mais ameaçadas do planeta), centenas de variedades de orquídeas selvagens, mais de 115 espécies de aves, 90 espécies de borboletas, 98 de anfíbios, 74 de insetos, 350 espécies de aranhas, 13 de roedores, 58 de répteis, 6 de peixes e 7 espécies de mamíferos carnívoros e 20 de insectívoros.
Ranomafana é a natureza em estado puro. O parque deve ser visitado na companhia de uma guia credenciado. Para esta visita aconselhamos calçado para caminhar, calças largas e impermeável.

Alojamento: HotelRefeições: Pequeno-almoço
Conforto: Dificuldade:

Dia 8 Parque Nacional de Ranomafana - Sahambavy

Hoje tomaremos o pequeno-almoço muito cedo para termos tempo de fazer a caminhada em Ranomafana.
A mesma terá cerca de 4 horas de duração e terá como objetivo principal a observação da natureza, nomeadamente a observação de várias espécies de lémures como o «Propithecus Edwardsi», o «Hapalemur Griseus Ranomafanensis» ou o »Varecia Variegata», entre outros pois poderemos observar 12 espécies neste parque. O trilho percorre belíssimos fetos arbóreos, orquídeas silvestres e plantas do género pandanus, entre muitas outras.

Este parque nacional é sinónimo de natureza em «Estado Puro», está classificado pela Unesco como património mundial da floresta tropical de Antsinanana que inclui 6 parques nacionais que se estendem por toda a ilha de Madagáscar.

Depois do almoço, visitaremos uma queda de água sobre o río Namorona. Para depois, seguirmos para a aldeia rural de Sahambavy, onde visitaremos as suas plantações de chá, única na ilha. Conheceremos, em primeira mão, a feitura do chá e as variedades que se produzem na ilha.
Ida para o hotel e tempo livre.
Hoje a distância a percorrer em automóvel será de 60 km/ 2 horas.

Alojamento: HotelRefeições: Pequeno-almoço
Conforto: Dificuldade:

Dia 9 Sahambavy - Ambavalao - Reserva de Anja - Parque Nacional de Isalo

Hoje a nossa rota terá cerca de 310 km de distância num total de cerca de 7h30m.

Pequeno-almoço e saída até Fianarantsova, chegada e passeio pelo seu centro histórico que inclui a visita a um miradouro com belas vistas da região.
Após a visita, continuamos a rota até à povoação de Ambalavao para visitarmos a oficina de papel Antemoro. Seguindo-se a visita à belíssima reserva Natural de Anja, onde faremos uma caminhada de cerca de 1 hora e meia para observarmos o lémure da espécie «maki catta», assim como outras espécies, nomeadamente camaleões. A caminhada não termina sem visitarmos os túmulos da etnia betsileo-Sur.
Após o almoço livre, seguirmos para o Parque Nacional de Isalo, finalizando os dias que passamos nas "terras altas" de Madagáscar, pois a partir de agora entramos em terrenos mais desérticos e de savana.

RESERVA DE ANJA
Situada a 15 quilómetros a sul de Ambalavao, a reserva encontra-se na base do maciço de Ladramvaky.
É caracterizada por uma grande biodiversidade, tanto de fauna como de flora e nela se encontram mais de 300 lémures da espécie Catta Linnaeus, assim como camaleões e várias cobras, como a Boa-de-Madagáscar.
A floresta tropical alberga várias espécies de orquídeas, ficus e Pachypodiums.
Esta reserva inclui uma paisagem sui generis, ou seja, um bosque tropical emerso num caos de blocos de pedra, alguns de tamanho gigantesco.
A reserva é gerida por uma associação local e praticamente todos os guias e colaboradores são provenientes das aldeias vizinhas com a de Ny Anja.

PAPEL ANTEMORO
As origens do papel Antemoro remontam ao século VII, o papel foi trazido pelos árabes vindos da costa sudeste. A necessidade de preservar os escritos litúrgicos ( Corão) em condições de elevados níveis de humidade, fê-los criar uma matéria-prima de origem vegetal ( chamada avoha e com origem no arbusto Bosqueia danguyana) capaz de preservar esses mesmos escritos.
Em 1936, o processo foi reeinventado por um francês chamado P. Mathieu, estando na origem da atual oficina em Ambalavao.

Alojamento: HotelRefeições: Pequeno-almoço, Jantar
Conforto: Dificuldade:

Dia 10 Parque Nacional de Isalo e aldeia de etnia Bara

Pequeno-almoço e visita ao Parque Nacional de Isalo.
Visitaremos a «Queda de água das Ninfas», a piscina azul e a piscina negra e o famoso desfiladeiro de Namaza
(o piquenique não está incluído).
Isalo é o parque mais visitado, possuindo diversos desfiladeiros de grande beleza e esculpidos pela água, de salientar as cavidades onde se situam os túmulos de Bara.
Faremos uma caminhada de nível fácil-moderado e com uma duração de 5 horas ( com algumas subidas e muito calor) mas acessível a praticamente todos os viajantes que estejam em forma física mínima.
Ps: Caso não queira realizar esta caminhada, poderá sempre esperar pelo grupo no hotel.

O Parque Nacional de Isalo, além de testemunhar a história de Madagáscar, é habitat de várias espécies de lémures como as «Eulemur Fulvus», «Rufus», «Eulemur Rufifrons», «Propithecus Verreauxi», «Verreauxi» entre otras. Também no reino das plantas, há várias espécies emblemáticas, como a palmeira-de-Madagáscar, endémica de Isalo, a «Bismarkia nobilis», várias espécies de aloés, entre muitas outras…

Ainda visitaremos uma aldeia de pastores da etnia «Antabara» na região de Ikazandreno e onde poderemos assistir a um magnífico pôr-do-sol.
Regresso al hotel e tempo livre.

PARQUE NACIONAL DE ISALO
O deserto também faz parte da paisagem de Madagáscar, que de certa forma, faz lembrar o deserto do Colorado ou Arizona nos EUA.
O Parque Nacional de Isalo, criado em 1962, é um dos mais famosos do país, contando com uma grande variedade de paisagens. Está situado na região sul da ilha, nas imediações da cidade de Ranohira e ocupando uma área de 81540 hectares.
É considerado um verdadeiro santuário para diversas espécies endémicas de fauna e flora. com inúmeros habitats, desde desfiladeiros, ribeiros e pequenos rios e inúmeros formações rochosas de grés,
Encontra-se na região da etnia Bara, hábeis criadores de gado e detentores de rituais religiosos animistas, que incluem o «roubo do gado pré nupcial» e diversas cerimónias de iniciação juvenis.
Este parque é muito mais do que o seu património natural, já de si, de excedível variedade.
Várias espécies de lémures, sobretudo o «Propithecus Verreauxi Verreauxi »(Sifaka-Bilany) o lémure que «caminha numa posição erguida»; 77 espécies de aves, 70% delas endémicas de Madagáscar e mais de 400 espécies de flora.

Alojamento: HotelRefeições: Pequeno-almoço, Jantar
Conforto: Dificuldade:

Dia 11 Isalo - Parque Nacional de Zombitse - Tulear

Após o pequeno-almoço, iniciaremos o percurso do dia de hoje pelo sul de Madagáscar, cerca de 225-250 km em aproximadamente 5 horas.

Visitaremos os famosos túmulos de Mahafaly, rasgados na pedra e que contêm estelas funerárias, pinturas animistas com animais, cenas da vida quotidiana, etc. Quase sempre enfeitados por crânios e chifres de gado e onde encontramos, nas imediações, os primeiros baobás do Sul da ilha.

A rota prossegue para o Parque Nacional de Zombitse, onde faremos uma caminhada de cerca de 1h30 para observarmos lémures da espécie Sifaka (Propithecus Verreauxi), assim como camaleões e baobás da espécie Adansonia Za.

Continuação da rota até Tulear e visita ao seu mercado de conchas. Almoço livre.

Da parte da tarde, visita à reserva de Reniala e ao seu bosque de Baobás, onde faremos uma caminhada de cerca de 1 hora de duração.

Ida para o hotel.

Alojamento: HotelRefeições: Pequeno-almoço
Conforto: Dificuldade:

Dia 12 Voo Tulear - Antananarivo

Pequeno-almoço e à hora marcada, transporte para o aeroporto de Tulear para voarmos rumo a Antananarivo.

Chegada, assistência no aeroporto e visita ao mercado de artesanato de Digue, um dos maiores mercados de Africa.

Continuação até ao alojamento, situado no centro da cidade.

Alojamento: HotelRefeições: Pequeno-almoço
Conforto: Dificuldade:

Dia 13 Voo Antananarivo - cidade de origem

Pequeno-almoço e transporte coletivo para o aeroporto às 10:30. Caso pretenda um transfere a outras horas, há um suplemento. Contacte a Papa-Léguas.

Voo de regresso à cidade de origem com escalas intermédias ou início da extensão «Alameda dos Baobás».

Alojamento: XRefeições: Pequeno-almoço
Conforto: Dificuldade:

Dia 14 Chegada à cidade de origem

Chegada à cidade de origem e fim dos serviços da Papa-Léguas.

Alojamento: XRefeições: X
Conforto: Dificuldade:

FAQs

Esta viagem é para mim?

Se és um viajante intrépido(a), o espírito de aventura corre-te nas veias e queres conhecer uma África diferente, então esta viagem é para ti. Madagáscar é um destino fascinante, repleto de paisagens deslumbrantes, fauna e flora únicas, e uma cultura rica. A energia vibrante e uma autenticidade cativante não deixam ninguém indiferente.

Quem será o guia desta viagem?

Esta viagem será guiada por um experiente líder de viagem que fala espanhol e guias locais nos parques nacionais.

Em que tipo de alojamentos fico nesta viagem?

Ficas em hotéis. Em quarto duplo com casa de banho privada.

Que tipo de transportes usamos nesta viagem?

Usamos um veículo privado. Carrinha ou mini-bus em função do número de participantes.

Os transferes de chegada e partida estão incluídos?

Sim, desde que marcados dentro das datas da viagem. Se fores mais cedo ou quiseres estender a tua viagem contacta-nos.

A Papa-Léguas trata dos voos?

Caso nos peças a proposta de voos, a Papa-Léguas envia-te a mesma. Depois de receberes a simulação dos voos, podes optar por comprar à Papa-Léguas, noutra agência ou online.

Onde me encontro com o grupo?

No hotel em Antananarivo, no primeiro dia em Madagáscar.

Se me inscrever sozinho/a, tenho que pagar suplemento individual?

Não necessariamente. Se não fizeres questão de ficar sozinho/a nos alojamentos, poderá partilha-los com outra pessoa inscrita. A Papa-Léguas poderá agrupar aos pares, por sexo e por ordem cronológica de inscrição, os viajantes que se inscreverem individualmente para a mesma viagem e, se o número de participantes for ímpar, o que ficar isolado deverá pagar o suplemento individual respetivo.

Posso beber água da torneira em Madagáscar?

Não aconselhamos que o faças. Leva um filtro ou aconselha-te com o guia onde podes encontrar água filtrada. Em último caso podes sempre comprar água engarrafada.

No programa terra, está incluído um seguro?

A resposta é sim, está incluído. A exceção é para viajantes que não partam de solo nacional, sejam ou não titulares de nacionalidade portuguesa. O seguro incluído não cobre Covid-19 mas pode acionar um seguro opcional sugerido pela Papa-Léguas que cobre Covid-19. Para obteres mais informações sobre as apólices disponíveis, consulta a nossa página sobre seguros de viagem

Quanto dinheiro devo levar para os meus gastos pessoais?

Para os gastos básicos, tais como refeições não incluídas no programa e visto de entrada (35 euros), dizemos-te que cerca de 350 euros serão suficientes.

Que documentação é necessária para fazer esta viagem?

Passaporte com data de validade superior a 6 meses após a data de saída de Madagáscar e com duas folhas em branco, o visto tratado à entrada do país, tem um custo aproximado de 35 Euros.

Que equipamento é imprescindível para fazer esta viagem?

Roupa confortável é a resposta mais rápida. Para além do óbvio, deves levar sapatos confortáveis, fato de banho, toalha, lanterna frontal, etc. tudo guardado numa mochila ou "Duffel bag". Malas rígidas, não sendo proibidas, não são de todo aconselhadas. Recomendamos também que tragas um power bank e um adaptador universal. Se tiveres vários aparelhos para carregar, leva uma ficha tripla. Quando te inscreveres receberás uma lista detalhada do equipamento necessário.

Quais as restrições sanitárias para entrar no país?

Não existem restrições sanitárias para entrar no país. Em relação às restrições Covid-19, devido a constantes alterações das mesmas, agradecemos que contactes a Papa-Léguas para mais informações.

Qual a melhor época do ano para visitar Madagáscar?

Depende da região que queiras visitar. O sul (onde decorre esta viagem) é a zona mais seca da ilha e pode ser visitada entre Abril e Novembro. Entre Dezembro e Março poderás encontrar muito calor, chuva e tempestades tropicais, evita essa época.

Porque é que esta é uma viagem "CLASSIC"?

Estas são as viagens que balançam o conforto a que já habituamos os nossos viajantes com experiencias memoráveis nos quatro cantos do planeta. Numa viagem de descoberta cultural no japão, acompanhado por um líder de viagem da Papa-Léguas, ou num trekking na Eslovénia, acompanhado de guias locais, as viagens CLASSIC são aqueles que proporcionam o melhor dos dois mundos – espírito de descoberta e aventura e uma boa cama ao fim do dia.

1 avaliação de Madagáscar, a Ilha Continente

1 Avaliação
Ordenar por: Avaliação Data

Eduardo C.

Uma viagem que surpreendeu pela positiva. Organização impecável da agência local. O país é lindíssimo com paisagem muito variável, grande riqueza cultural e natural. Os parques visitados estavam bem preservados e as visitas bem organizadas. A população é pobre mas afável e de sorriso fácil. Algumas estradas são muito complicadas pelo mau estado de conservação. É um local onde gostaria de voltar. O país é muito grande e apenas conheci uma pequena parte. Recomendo, em particular para quem, como eu, gosta de Fotografia.

GDPR